Novos usos para medicamentos ajuda pacientes com doenças raras

Pesquisas são alento para paciente, mas o que acontece quando não há nenhum lucro para a indústria farmacêutica?

O Dr. Nicolas Sireau conhece a frustração de ver seus filhos sofrerem de uma doença rara e debilitante. Ele também sabe que uma cura para a alcaptonúria não é uma prioridade para as empresas farmacêuticas. É por isso que ele fundou a organização sem fins lucrativos Findacure, no Reino Unido. Na Elsevier, estamos trabalhando com a Findacure para permitir o estudo dos mecanismos de doenças raras, o pareamento de informações e análises para a avaliação da composição biológica das doenças e listar os tratamentos potenciais mais promissores que poderiam ser repropositados com segurança e eficácia.

William Bateson, o pai da genética moderna, uma vez disse que devemos “apreciar nossas exceções”. Entretanto, não surpreendentemente, curas para doenças raras muitas vezes não são uma prioridade para as empresas farmacêuticas, pois o retorno sobre o investimento de pesquisa e desenvolvimento (P&D) é difícil de alcançar devido ao pequeno número de pacientes beneficiados. Em alguns casos, no entanto, a repropositagem de medicamentos genéricos como terapias para doenças raras pode ser uma solução pragmática e de mudança de vida para esse problema.

Essa possibilidade inspirou o Dr. Nicolas Sireau, de Cambridge, no Reino Unido. Ele tem dois filhos com alcaptonúria, uma doença congênita que é debilitante e crônica, causadora de artrite grave e degenerativa. Em um Fórum P&D da empresa farmacêutica GSK, ele falou sobre a frustração de ver a doença evoluir sabendo que encontrar uma cura não está na lista de prioridades de qualquer empresa farmacêutica. Essas frustrações o fizeram se unir a um médico em Cambridge para fundar a Findacure, uma organização sem fins lucrativos sediada no Reino Unido que conduz a pesquisa e o desenvolvimento de tratamentos para doenças raras.

Nicolas Sireau, PhD, co-fundador da Findacure

A Findacure está construindo modelos de custo-de-doença para doenças raras específicas, quantificando o custo atual para o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS) e revelando o potencial de economia por meio do uso de drogas repropositadas como tratamento. No processo, ele está trazendo esperança para os pacientes e potencial para salvar vidas.

Encontrando um novo uso para um imunossupressor

Para realizar seu objetivo, a Findacure pretende fazer um estudo demonstrando que um medicamento genérico poderia beneficiar uma população paciente particular, que o mecanismo de ação da droga é compreendido e que a droga poderia reduzir o custo dos cuidados de saúde, particularmente para o NHS. Dez doenças são alvo, a primeira das quais é o hiperinsulinismo congênito (HI).

A HI é uma doença extremamente rara que faz com que recém-nascidos tenham um nível permanentemente excessivo de insulina no sangue, o que pode levar a lesões cerebrais ou à morte se não for tratada rapidamente. Para os casos mais graves de HI, o único tratamento atualmente viável é a remoção do pâncreas (pancreatectomia quase total), destinando o paciente a uma vida de diabetes.

O imunossupressor genérico sirolimus é promissor como um tratamento off label, podendo ajudar os pacientes a regular o seu próprio açúcar no sangue e a manter o seu pâncreas. Porém, antes que o remédio possa ser prescrito rotineiramente para HI, ele deve ser testado em ensaios clínicos. E antes que isso aconteça, a Findacure precisa de um corpo robusto de evidências demonstrando que o sirolimus pode e deve ser progredido para um estudo de prova de conceito de fase II.

Compelido a ajudar

Tim Hoctor, vice-presidente de Serviços Profissionais de P&D Empresarial da Elsevier, estava na plateia ouvindo Dr. Sireau quando pensou em uma maneira de ajudar. A Findacure estava se concentrando na HI para seu primeiro estudo de prova de conceito. Ele lembrou, “eu sabia que nosso extenso acesso a dados e nossa capacidade de combiná-los e analisá-los seria útil. Temos acesso a dados de pesquisa publicadas (a partir de preenchimentos regulamentares de drogas) com o clique de um botão, e a capacidade de analisá-los para encontrar padrões e relações nem sempre claras ou disponíveis para os pesquisadores”.

Hoctor mobilizou sua equipe na Elsevier para ajudar na organização e todos ficaram entusiasmados.

Tim Hoctor, vice-presidente de Serviços Profissionais da Elsevier

Alguns já foram pesquisadores de ciências da vida, de modo que a ideia apresentou uma oportunidade para que se mantivessem conectados com o campo e usassem seus conhecimentos farmacêuticos para fornecer contribuições significativas ao projeto. A Findacure aceitou a oferta esperando receber alguns artigos relevantes, mas estão recebendo muito mais.

O Dr. Rick Thompson, Diretor Científico da Findacure, disse:

Para ser perfeitamente honesto, nós não pensávamos que faríamos pelo uso dos serviços que a Elsevier estava nos oferecendo. Eu estava bem consciente do papel da Elsevier no mercado editorial, mas não sabia sobre o lado de serviços profissionais e toda a mineração de dados, análises e pesquisas que podem fazer. Quando compreendemos totalmente o tipo de apoio que estava sendo oferecido para a nossa pequena instituição de caridade, ficamos extasiados

Aceleração por meio da informática

Ao analisar caminhos biológicos e a estrutura da doença, e pela análisede textos publicados para mais insights sobre ela, a Elsevier está fornecendo: um resumo da literatura que descreve o uso de sirolimus para a HI e quaisquer eventos adversos associados; um resumo da literatura discutindo o aumento na sensibilidade à insulina associada com o uso de sirolimus; e uma lista estruturada de papers sobre a HI (por exemplo, pastas separadas para avaliações, trabalhos de pesquisa, artigos clínicos, casos, efeitos colaterais) para ajudar a informar e educar os pesquisadores clínicos. Além disso, a Elsevier está ajudando a Findacure a compreender o panorama da investigação e filiações para a HI, permitindo que a organização continue a construir a sua rede de autores e instituições.

Um dos funcionários que fazem esse trabalho é a Dr. Maria Shkrob, Gerente de Projetos de Serviços Profissionais da Elsevier. Com PhD em biologia molecular, ela passou sete anos trabalhando no desenvolvimento de soluções de software de bioinformática, bancos de dados e sua aplicação. Para a Findacure, a Dr. Shkrob utilizou ferramentas de análise de texto da Elsevier para fazer uma lista de proteínas, substâncias químicas, doenças e processos celulares associados com a HI na literatura. Ela, então, usou essa informação para construir um modelo de doença para a HI e o mecanismo de ação do sirolimus com a plataforma da Elsevier Pathway Studio, que permite o estudo e a visualização dos mecanismos da doença, sua expressão gênica e informações proteômicas e metabolômicas.

Maria Shkrob, PhD, Gerente de Projetos de Serviços Profissionais da Elsevier

Muitas pessoas, se não a maioria, vêm para a área biomédica impulsionadas pelo desejo de participar na investigação que ajuda pacientes reais e tornam a vida de alguém melhor”, disse ela. “Trabalhar nesse projeto e ver a dedicação da equipe da Findacure, da minha própria equipe e de outros colaboradores faz com que eu sinta que estou fazendo exatamente o que eu sempre quis fazer.

Outro funcionário ativo no projeto é o Dr. Matthew Clark, Consultor de Soluções de P&D de Ciências da Vida. Com um PhD em química, o Dr. Clark teve uma extensa carreira em P&D farmacêutico e em informática de descoberta. Para a Findacure, Matthew combina dados de vários produtos Elsevier através de suas APIs para conectar caminhos (a sequência de interações moleculares responsáveis por causar a doença) a compostos que inibem membros desses caminhos. Essa análise identificou um número de moléculas que podem ser testadas para tratar a doença, além de fornecer redes de pesquisadores que trabalham com a HI.

Em uma fase posterior da colaboração, quando o sirolimus estiver pronto para ser testado, a Elsevier usará ferramentas como o Pathway Studio para avaliar a constituição biológica da HI em profundidade e, então, listar potenciais tratamentos promissores adicionais que poderiam ser repropositados com segurança e eficácia.

Matthew Clark, PhD, Consultor de Soluções P&D na Elsevier

Esse trabalho faz parte de uma colaboração formal que começou em setembro. A Elsevier está fornecendo conhecimentos de informática e aconselhamento pro bono, bem como o acesso à literatura publicada através de suas ferramentas on-line, por três anos.

“A colaboração é um fator crítico na ciência da vida, enquanto todos tentamos expandir e melhorar a qualidade de vida”, afirma Hoctor. “Entretanto, a colaboração é mais do que uma necessidade de negócio; a colaboração é um privilégio para aqueles que, trabalhando juntos, são capazes de realmente causar um impacto”.

Quais são os resultados esperados?

Dr. Thompson explica que a colaboração pode ter um impacto amplo:

“O fornecimento de fortes evidências, de que os medicamentos genéricos de sirolimus podem beneficiar pessoas com HI permite que a Findacure mobilize mais facilmente o financiamento para ensaios clínicos. Construir uma rede mais forte ao longo dos próximos anos também deve facilitar o processo de ensaios clínicos, permitindo o recrutamento de uma população maior de pacientes, bem como médicos e pesquisadores empenhados em tentar um tratamento de baixo custo. Se for bem-sucedida, a abordagem desenvolvida em parceria com a Elsevier pode ser replicada com outras doenças raras”.

Hoctor ainda afirma que a Elsevier planeja expandir suas colaborações na comunidade de ciências da vida. “Estou particularmente ansioso para expandir o nosso trabalho ao lado de pesquisadores dedicados a causar um impacto demonstrável. Nossa equipe na Elsevier é energizada por essa colaboração, que demonstra claramente o poder dos dados e a transformação de informações a insights.”

Leia mais sobre a Elsevier em R&D Solutions for Pharma & Life Sciences ou visite Pharma R&D Today blog.


Contribuidora da Elsevier Connect

Marilynn Larkin (@MarilynnL) é uma premiada escritora de ciência e editora que desenvolve conteúdo para o público médico, científico e de consumo. Ela escreveu para o The Lancet e suas revistas médicas afiliadas por mais de 10 anos e foi contribuidora regular das publicações do New York Academy of Sciences e do newsfeed profissional da Reuters Health. Larkin também lançou e trabalhou como editora na Caring for the Ages, uma publicação oficial da American Medical Directors Association. Artigos de Larkin também apareceram na Consumer ReportsVogueWomen’s Day e muitas outras publicações de consumo, e ela é autora de cinco livros sobre saúde dos consumidores.

Como consultora de consciência postural e construção de confiança, Larkin realizou apresentações para corporações e organizações sem fins lucrativos em reuniões regionais e nacionais como a American Society on Aging and National Council on Aging, a American College of Sports Medicine e a New Jersey Dietetic Association.