Integridade da pesquisa

A Elsevier compartilha a meta da comunidade de pesquisa de promover integridade – desde a metodologia de desenho adequada à submissão de um artigo ético, a publicação adequadamente revisada e disponibilização de dados para reutilização. Apresentamos a seguir uma lista das muitas iniciativas que adotamos para traduzir nossa visão em ações reais.

Informação, educação e treinamento

Geralmente, a integridade da pesquisa é abordada em sessões educativas e de treinamento das instituições de pesquisa. A Elsevier também oferece esse treinamento, especialmente no contexto da redação e publicação de artigos de pesquisa.

Autores:

Palestras on-line e cursos interativos em vários tópicos, incluindo autoria, plágio e conflito de interesses.

  • Palestras on-line são apresentadas por especialistas de liderança que interagem em uma sessão de garantia de qualidade para reforçar a discussão.
  • Cursos de treinamento interativo guiam os participantes pelo tópico e testam os conhecimentos deles ao longo da sessão.

Visite o Publishing Campus da Elsevier

Editores:

Os editores novos frequentemente necessitam de orientação quando se deparam com os primeiros problemas de integridade, mas os editores estabelecidos também gostam de se sentir apoiados nas questões relacionadas a alegações de integridade de pesquisas.


Reutilização de dados de pesquisa

Os dados da pesquisa formam a base sobre a qual o conhecimento médico e científico é construído. Com o aumento da digitalização de pesquisas, surgiram novas possibilidades para o armazenamento e a preservação dos dados de pesquisa. A captura dos dados de pesquisa em forma digital tem muitas vantagens:

  • melhora o acesso, a reutilização e a reprodutibilidade,
  • reduz custos,
  • economiza recursos,
  • facilita a descoberta,
  • promove a pesquisa multidisciplinar,
  • promove a integridade da pesquisa a ser publicada.

Na Elsevier, acreditamos que existam 10 aspectos que podem tornar os dados efetivos e que podem funcionar como um guia para o desenvolvimento de melhores processos e sistemas de gerenciamento de dados durante a pesquisa e os ciclos de dados de pesquisas. Esses aspectos incluem preservação, acessibilidade, citação, reprodução e reutilização. Com essas características em mente, contribuímos para iniciativas de dados como Force11, Scholix, e a Research Data Alliance (RDA).

Como editora e provedora de análises de informações, a Elsevier cria produtos e plataformas digitais que integram dados de pesquisa no fluxo de trabalho da pesquisa para torná-los acessíveis, possíveis de serem descobertos e reutilizáveis – e finalmente, oferecer suporte para a integridade da pesquisa a ser publicada.

Todas as ferramentas abaixo são ininterruptamente integradas umas com as outras para evitar duplicidade de trabalho. Todas as ferramentas têm API aberta para também permitir integrações locais.

  • A solução Mendeley Data oferece um repositório de dados no qual os pesquisadores podem armazenar, colaborar, encontrar, compartilhar e expor seus dados de pesquisa
  • Elementos de pesquisa oferecem uma coleção de revistas revisadas por pares com acesso aberto que disponibiliza dados, software, materiais e métodos para descoberta, reutilização e citação
  • O caderno eletrônico de laboratório Hivebench ajuda os pesquisadores a fazer anotações, compartilhar e recuperar seus experimentos e métodos em um ambiente de laboratório.

Encontre uma lista de todas as nossas iniciativas de dados


Plágio e manipulação de imagens

Uma das violações mais comuns da integridade da pesquisa é o plágio.

  • Para detectar casos de plágio antes da publicação, a comunidade de publicação nas áreas científica, técnica e médica se uniu para desenvolver a verificação de similaridade Crossref (anteriormente chamada CrossCheck), um serviço que ajuda os editores a verificar a originalidade de um artigo. A Elsevier contribuiu para esse serviço com mais de 10 milhões de artigos e mais de 7.000 livros, e está usando o serviço para verificar cada manuscrito recebido com mais de 50 milhões de itens de conteúdo acadêmico publicados anteriormente.

Mais recentemente, um número crescente de problemas de integridade da pesquisa se refere à duplicação de imagens ou manipulação indevida de imagens. Esses casos são ocasionalmente descobertos por revisores e editores com olhar aguçado, mas é necessário um processo sistemático para identificar consistentemente os problemas em potencial.

  • Algumas de nossas revistas já submetem as imagens enviadas a um processo de triagem manual, mas para que essa triagem seja feita em todas as imagens, será necessário um processo semi-automatizado.
  • A Elsevier é ativa nessa área, executando pilotos e patrocinando pesquisas em desenvolvimento de software – por exemplo, em parceria com a Humboldt-Universität zu Berlin, criamos o centro Humboldt-Elsevier Advanced Data & Text (HEADT) para investigar problemas relacionados à integridade da pesquisa.

Relatórios estruturados e transparentes

A integridade de pesquisas médicas e na área da saúde e seus relatórios vem melhorando há muitos anos graças à exigência de adesão às diretrizes de produção de relatórios como o CONSORT. Em outras disciplinas, essas normas não estão prontamente disponíveis, embora muitas pessoas concordem que elas poderiam ser muito úteis.

  • Para esse fim, a revista Biochemical Pharmacology da Elsevier lançou a lista de verificação do autor para garantir que procedimentos adequados de pesquisa sejam seguidos e relatados.
  • A Cell Press implementou nossos Métodos STAR para a maioria das suas revistas. Os Métodos STAR são métodos que oferecem relatórios estruturados, transparentes e acessíveis (Structured, Transparent, Accessible Reporting). Esses métodos promovem rigor e solidez com uma estrutura de trabalho intuitiva e consistente que é integrada ininterruptamente ao fluxo de trabalho científico — o que torna a produção de relatório mais fácil para o autor e a replicação mais fácil para o leitor. A reação foi muito positiva quando a revista Cell começou a publicar artigos com o uso dos métodos STAR no ano passado.
    Conforme um pesquisador escreveu:

Eu verdadeiramente acredito que esta medida ajudará a tornar a ciência mais reprodutível.


Pré-registro e relatórios registrados

Um elemento fundamental da pesquisa adequada é não deixar que a execução de um protocolo, e a coleta ou análise dos dados, seja influenciada durante o processo. A metodologia de pré-registro da pesquisa é uma forma de melhorar a transparência e a reprodutibilidade da ciência por meio da revisão de protocolos de estudos antes que os experimentos sejam realizados.

A revista Cortex oferece relatórios registrados

Em 2013, a revista Cortex da Elsevier se tornou a primeira revista a oferecer Relatórios registrados – um tipo de artigo empírico desenvolvido para eliminar o viés na publicação e incentivar as melhores práticas científicas. Ao contrário das publicações convencionais, a Cortex e outras revistas com relatórios registrados aceitam provisoriamente um artigo com base em um protocolo de estudo submetido anteriormente que seja considerado metodologicamente robusto e aborde uma questão científica importante. Equipados com esta aceitação provisória de seus trabalhos, os autores podem realizar a pesquisa sabendo que os resultados não determinarão a publicação do artigo. Ao mesmo tempo, os leitores do artigo final poderão se sentir mais confiantes sabendo que os trabalhos são reprodutíveis porque as previsões do estudo e os planos de análise foram revisados independentemente.

Veja um exemplo de um relatório registrado


Campanha REWARD da revista The Lancet

Todos os anos, cerca de um terço de um trilhão de dólares (USD) é gasto em pesquisas biomédicas em todo o mundo. Mas há evidências que mostram que partes desse investimento são desperdiçadas devido à forma como as prioridades das pesquisas são estabelecidas e como as pesquisas são planejadas, realizadas, analisadas, reguladas e gerenciadas; a falta de publicação de muitas pesquisas e a produção insatisfatória de relatórios de pesquisa publicadas também contribuem para isso.

Após a publicação de uma série de quatro artigos em 2014 sobre como aumentar o valor e reduzir o desperdício nas pesquisas biomédicas, a revista The Lancet lançou a campanha REWARD (Reduce research Waste And Reward Diligence) para convocar todos os envolvidos em pesquisas biomédicas a examinar cuidadosamente a forma como eles trabalham para garantir a produção de pesquisas tão valiosas e úteis quanto possível.

A declaração REWARD inclui o seguinte acordo:

Acreditamos que somos responsáveis não apenas por buscar o avanço do conhecimento, mas também por avançar a prática da própria de pesquisa. Com isso, contribuiremos para melhorar a saúde e a vida de todas as pessoas, em todos os lugares. Como fundadores, reguladores, organizações comerciais, editoras, editores, pesquisadores, usuários de pesquisas – temos o compromisso de fazer a nossa parte em aumentar o valor e reduzir o desperdício na pesquisa.

Leia mais sobre os artigos, a declaração, a campanha, seus parceiros e atualizações regulares.


Como publicar artigos com reprodutibilidade

Garantir que uma pesquisa possa ser reproduzida é um passo imenso para fazer com que ela seja confiável e mostrar aos colegas, financiadores e público que a ciência pode ser confiável. Isso é o que precisamos fazer para salvaguardar a ciência. No entanto, os estudos com replicação são raramente publicados, o que pode ocorrer devido a:

  • Em parte, à falta de "inovação" no referido estudo, e, portanto, o pequeno reconhecimento que o(s) autor(es) recebe(m), uma vez que as citações relevantes tendem a ir para o artigo original
  • Também há uma percepção de que as revistas e seus editores não têm interesse na replicação dos estudos, particularmente daqueles que confirmem resultados anteriores.

Como uma editora de liderança, a Elsevier ajuda a reduzir essa barreira percebida à publicação.

  • Oferecemos suporte para pesquisas que promovam reprodutibilidade: revistas como a Heliyon publicam estudos de boa qualidade, independentemente dos resultados.
  • Também criamos uma série de edições especiais virtuais com enfoque em reprodutibilidade: por exemplo, uma delas apresenta estudos com replicação em neurociências, neurologia, psicologia e psiquiatria e outra apresenta artigos sobre a importância da reprodutibilidade.
  • Estamos trabalhando em um novo tipo de artigo dedicado a estudos com replicação, que serão disponibilizados em breve em várias revistas.

Transparência na autoria e funções dos colaboradores

Conforme as pesquisas se tornam cada vez mais interdisciplinares, as funções de autoria estão crescendo e mudando. Grandes projetos colaborativos podem envolver centenas de colaboradores e mesmo em iniciativas de pesquisas menores, não é incomum a participação de 10 a 15 pessoas. A autoria é uma marca de crédito, mas também de responsabilidade – tanto pelo conteúdo de um artigo quanto pela validade dos dados contidos no mesmo. Em qualquer artigo, a inclusão de um autor representa uma contribuição significativa para o artigo e concordância com o seu conteúdo e publicação.

  • Visando melhorar a clareza e a transparência nesse contexto, a revista Cell Press lançou o uso da taxonomia CRediT para artigos de pesquisa,
  • Com o tempo, a Elsevier planeja implementar o uso da taxonomia em muitas outras revistas.

A taxonomia CRediT surgiu de uma iniciativa colaborativa entre várias instituições de pesquisa, editoras, agências financiadoras, organizações e outras. A nova taxonomia foi desenvolvida para ajudar a esclarecer as reais contribuições dos autores para um artigo, e oferece definições claras das diferentes funções que eles podem exercer. A taxonomia e sua implementação também se destinam a proporcionar maior reconhecimento pelo trabalho de cada autor e reduzir as disputas pela autoria.


Patrocinadora da Conferência Mundial de Integridade em Pesquisa

A Elsevier tem orgulho de patrocinar a Conferência Mundial de Integridade em Pesquisa.

Veja os resumos deste workshop.