Violência infantil: As pequenas vítimas

Violencia-infantil-As-pequenas-vitimas.jpg

O número de crianças que sofrem violência vem aumentando. Em todo o Brasil, foram registrados mais de 150 mil casos de crianças e adolescentes vítimas de violação de direitos no ano de 2014. A maioria dos casos foram denunciados em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Minas Gerais, respectivamente.

Com a intenção de conscientizar e lembrar da importância do cuidado com as crianças foi criado na Assembleia Geral Extraordinária das Nações Unidas a 19 de agosto de 1982 e celebra-se no dia  04 de junho o Dia Internacional das Crianças Vítimas de Agressão. Por causa deste dia, as Nações Unidas também criaram um documento – Convenção dos Direitos das Crianças – com o propósito de promover os direitos das crianças em todo o mundo.

¹A expressão ampla maus-tratos infantis inclui abuso físico intencional ou negligência, abuso emocional ou negligência abuso sexual de crianças, geralmente por adultos. É um dos problemas sociais mais significantes que afetam as crianças. Em 2007, as agências do serviço de proteção à criança nos EUA confirmaram que uma estimativa de 794 mil crianças foram vítimas de maus-tratos. Dos casos confirmados, cerca de 11% sofreram abuso físico, 8%, abuso sexual, 60%, negligência e 4%, maus-tratos psicológicos ou abuso emocional. Em 2007, estimavam-se 1.760 óbitos infantis resultados de abuso e negligência (U.S Department of Health and Human Services, 2009). As estatísticas relatadas só representam parcialmente a real incidência de maus-tratos infantis, uma vez que se acredita que muitos casos fiquem sem notificação.

NEGLIGÊNCIA INFANTIL¹

A negligência é a forma mais comum de maus-tratos. Mais da metade de todos os casos descritos está associada à privação das necessidades, e 34% dos óbitos por maus-tratos estão nesse grupo (U.S Department of Health and Human Services, 2009). Negligência é geralmente definida como fracasso de um dos genitores ou de outra pessoa legalmente responsável pelo bem-estar da criança em proporcionar as necessidades básicas da criança e um nível adequado de cuidado.

Os fatores contribuintes adequados para a negligência infantil são a falta de conhecimento das necessidades da criança, a falta de recursos e o abuso de substâncias entre os responsáveis pelos cuidados.

ABUSO FÍSICO¹

Uma lesão física deliberadamente infligida a uma criança, geralmente pelo responsável por seus cuidados, é denominada abuso físico. As definições legais de abuso físico são encontradas nas leis federais e estaduais. O Child Abuse Prevention and Treatment Act, de 1996, define o abuso como ”qualquer ação ou omissão recente que resulte em risco iminente de leão grave, óbito ou prejuízo físico ou emocional grave a uma criança (< 18 anos) realizada por um dos pais ou cuidador responsável pelo bem-estar da criança”.

ABUSO SEXUAL¹

O abuso sexual é um dos tipos mais devastadores de maus-tratos infantis, e as estimativas indicam que tenha aumentado significativamente durante a última década (U.S Derpartment of Health and Human Services, 2009). Parte da aparente elevação se deve a um aumento  da conscientização. O Child Abuse and Prevention Act define abuso sexual como ”o uso, a persuasão ou a coerção de qualquer criança a tomar parte em uma conduta sexualmente explícita (ou qualquer simulação de tal conduta), ou a produção de qualquer representação visual dessa conduta, ou estupro, molestamento, prostituição, ou incesto com crianças”.

FATORES PREDISPONENTES PARA O ABUSO FÍSICO¹

As causas do abuso infantil são multifacetadas. Os maus-tratos infantis ocorrem em todos os grupos socioeconômicos, religiosos, culturais, raciais e étnicos. Três fatores de risco são comumente identificados no abuso infantil: características dos pais, características da criança e características ambientais. Contudo, nenhum fator ou grupo de fatores único é preditivo do abuso. Antes, acredita-se que a interação desses fatores aumente o risco da ocorrência do abuso em uma família em particular.

DENUNCIE

A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) disponibiliza um canal para que a população denuncie casos de violência cotra os direitos humanos – o Disque 100. O serviço funciona 24h por dia, inclusive nos finais de semana e feriado. As denúncias são anônimas e podem ser feitas de qualquer parte do Brasil.

¹Trecho retirado do livro Wong´s Fundamentos Enfermagem Pediátrica – 9ª EDIÇÃO

Share
Tweet
Share
Share